meta content='WhereTheLightIsBlog' property='fb:admins'/> Where The Light Is - Por Gabriela Cubayachi: A Cura Mortal, Maze Runer III (James Dashner)

02 março 2015

A Cura Mortal, Maze Runer III (James Dashner)



Hoje eu finalmente vim resenhar pra vocês o último volume da trilogia Maze Runner, do James Dashner. Além dos três livros, o autor também escreveu uma prequel, mas depois posso fazer um post separado falando mais sobre ela, ok?

Autor: James Dashner | Editora: V&R | Páginas: 364
Já fiz a resenha do primeiro e do segundo livro da série, caso vocês queiram ler. Esta resenha aqui não tem spoilers, mas se você ainda não leu os outros e não quer saber nada sobre a história, recomendo não ler o primeiro parágrafo e pular direto pra minha opinião, hehe!


Bom, quando acaba a Prova de Fogo, os clareanos são transportados até a sede da CRUEL, onde supostamente irão receber a cura para o fulgor, como tinha sido prometido à eles. Acontece que, como sempre, nem tudo é o que parece... E nós percebemos isso assim que o livro começa, mostrando que eles não só separaram o Thomas dos outros, como também o trancaram sozinho em um quarto. Mais uma vez, o psicológico dele é posto à prova e, assim que ele é levado para junto dos outros, já descobrimos mais algumas coisas que fazem tudo piorar ainda mais. Eu sinceramente não quero falar muito sobre a história em si, porque senão perde a graça do livro, sabem? Mas garanto que o James Dashner encheu o enredo de reviravoltas e surpresas.

Uma coisa bem diferente nesse livro, é que nós finalmente conseguimos ter uma visão da situação do mundo e da população, já que a história não é focada somente nos clareanos e nos experimentos, o que eu gostei bastante. É um enredo com bastante ação e que te prende. O autor continuou usando a mesma tática de sempre deixar um gancho no final dos capítulos, o que faz com que você não consiga abandonar a leitura, hahahaha.




Bom, eu tenho uma relação de amor e ódio com esse livro. Enquanto eu estava lendo, fui amando e me envolvendo ainda mais com o enredo, mas não sei o que aconteceu com o Thomas! Durante os outros dois livros, eu conseguia entender as escolhas dele e durante toda a trilogia ele foi um protagonista que eu realmente amei, mas no último livro ele fez algumas escolhas que eu não consegui engolir até agora. Não foi uma questão de concordar ou não, mas senti que nesse livro ele estava muito inconsistente e tomando decisões que iam contra o que ele sempre tinha acreditado, sabem? A evolução do Tommy no decorrer dos livros é muito bem trabalhada e inevitável, ainda mais depois de tudo que ele passou, afinal, tinha horas que eu conseguia sentir toda a frustração, irritação e dor que ele sentia, mas o que me decepcionou mesmo foi que ele tomou decisões que prejudicaram outras pessoas, mas no final das contas não arcou com as conseqüências. Nesse livro ele estava muito mais impulsivo e revoltado, o que fez com que, em determinado ponto na história, ele fizesse uma besteira atrás da outra.




O livro em si é muito, muito bom. O enredo é ótimo, a leitura flui bastante e tem várias surpresas que deixam a gente sem ar. Como quase toda distopia, acontecem muitas coisas ruins e, nesse livro em particular, algumas mortes. Não vou dar spoilers, mas já adianto que tem uma morte em específico que acabou comigo. Mesmo sabendo que era inevitável, o modo como aconteceu foi horrível e bem inesperado. Juro que precisei fechar o livro e chorar um pouco pra conseguir continuar, hahahaha.

Eu só gostaria que o Tommy tivesse tomado decisões melhores e que o autor tivesse trabalhado melhor o final, porque senti que ficou muito corrido. Maze Runner tinha todo o potencial do mundo pra ter um final perfeito, mas, na minha opinião, deixou um pouco a desejar nesse quesito, ainda mais comparando com séries distópicas como Divergente, por exemplo, que na minha opinião teve um final sensacional (mesmo sendo triste, haha). Mesmo assim, recomendo muito a trilogia. É com certeza uma das minhas séries preferidas e meu xodózinho, hehe. Se você ainda não leu, corre! O segundo filme já está em fase de pós produção e estréia no segundo semestre deste ano, quero logo, hehe!





"It’s a very old axiom, but do you believe the end can justify the means? When there’s no choice left?"

"He looked down, saw that his hands and legs were shaking, and he suddenly felt freezing cold. 'What have I done?' he mumbled, but the others didn’t say a word." 

Onde vocês me encontram:
                        

Comente com o Facebook:

Comente

Postar um comentário

© Where The Light Is - 2016. Todos os direitos reservados. Design e programação: Folks Creative Studio. imagem-logo