meta content='WhereTheLightIsBlog' property='fb:admins'/> Where The Light Is - Por Gabriela Cubayachi: Literatura: A Sorte do Agora (Matthew Quick)

28 outubro 2015

Literatura: A Sorte do Agora (Matthew Quick)


Depois que terminei de ler "Perdão, Leonard Peacock" - que se tornou um dos meus livros favoritos -, eu coloquei como meta ler todos os livros do Matthew Quick. Pra mim, rolou uma certa identificação com a maneira de pensar dele, além de ter amado a escrita, sabem? Por isso fiquei super curiosa com o lançamento de "A Sorte do Agora" e passei na frente de vários livros da minha listinha de leitura, hehe! Hoje vim contar pra vocês o que eu achei! :D

Autor: Matthew Quick | Editora: Intrínseca | Páginas: 224
Esta resenha NÃO tem spoilers!



O livro conta a história do Bartholomew, um homem que viveu quase 40 anos com a mãe e que se vê completamente sozinho e perdido quando ela morre. Sem uma vida social, sem trabalho, sem planos ou perspectivas, tudo que ele tem é a convicção de que sua mãe tinha um caso com o ator Richard Gere e que só isso explica o fato de ela chamá-lo de Richard constantemente antes de morrer. Sendo assim, ele decide escrever cartas para Richard contando sobre a sua vida... E é assim que o livro começa! Inclusive, o enredo todo é narrado através dessas cartas!


Embora o Bartholomew seja um adulto, o fato de ter crescido em uma relação super dependente com a sua mãe fez com que ele fosse introspectivo e não tivesse noção alguma de como viver sozinho. Enquanto lia, foi impossível não lembrar do Norman Bates (de Psicose/Bates Motel) e da relação que ele tinha com a mãe, hahahahaha. Pelo menos o Bartholomew não ficou todo psicótico, né? De qualquer forma, eu estava bem curiosa pra saber como o Matthew construiria esse personagem e por fim acabei amando! Inclusive, o Bartholomew encontra amigos tão esquisitos que em certo ponto você até se convence de que ele é a pessoa mais normal do livro, hehe! E claro que toda essa esquisitice e todas as peculiaridades são abordadas de uma forma leve, divertida, sensível e que faz com que você acabe amando esses personagens.


Uma coisa que eu amei em "Perdão, Leonard Peacock" e consegui sentir novamente nesse livro, é que o Matthew discute muito as aparências e como sempre existe algo por trás do que a gente vê. As pessoas agem de certa maneira por algum motivo, e infelizmente nem todo mundo está disposto a parar e tentar entender. E isso não é a mais pura verdade? É tão mais fácil apontar o dedo pra alguém do que procurar entender ou ajudar. O próprio livro nos mostra que às vezes, por mais que a gente tente, nós não conseguimos ajudar alguém da forma que pensamos ser a melhor... Mas o que vale é tentar, no final das contas.

Também amei a relação do Bartholomew com seus amigos: Max, o padre McNeee, a Wendy e a Meninatecária, hehe. É uma delícia ver a relação de personagens que não tem nada em comum além do fato de serem pessoas diferentes, incompreendidas e invisíveis para a sociedade. Isso com certeza nos ensina muito sobre compreensão e aceitação. A forma como cada um escolhe enfrentar os problemas e encarar a vida também me conquistou. 

"E o que é a realidade senão a forma como nos sentimos sobre as coisas?"

“Não sabemos nada. Mas podemos escolher como reagir a tudo que acontece com a gente. Sempre temos uma escolha. Lembre-se disso!”


"Reze para seu coração ser capaz de aguentar tudo o que acontecer com você no futuro. Seu coração tem que continuar acreditando que os acontecimentos neste mundo não são tudo ou nada, e sim simples variáveis transitórias sem importância. Além dos altos e baixos da nossa vida, há um propósito maior, uma razão. Pode ser que a gente ainda não veja nem entenda o motivo, talvez nossa mente humana seja incapaz de compreender totalmente, apesar de tudo nos levar a algo maior.”

Com uma escrita leve, fluída, divertida e personagens imensamente humanos, o Matthew Quick conseguiu me conquistar mais uma vez. Estou ainda mais convencida em ler todos os seus outros livros agora! É uma leitura bem rápida, mas que permanece com você por muito tempo. 

"Sempre que algo de ruim acontece com a gente, uma coisa boa acontece. Normalmente com outra pessoa. Essa é A Sorte do Agora. Precisamos acreditar." 




Recomendo muito essa leitura, principalmente se você, assim como eu, também ama enredos com personagens nem um pouco comuns, hehe!

"Lembre-se de que não conseguir o que se quer, algumas vezes é um tremendo golpe de sorte."

Onde comprar: Submarino | Americanas | Shoptime





Vocês já leram ou tem vontade de ler algum livro do Matthew Quick? 




* Isto não é um publieditorial. Recebi esse livro da editora Intrínseca para que eu pudesse ler e dar minha opinião real e sincera, como faço em todas as minhas resenhas. Nunca indico aqui o que eu não gosto, ok?
                                                             
                                                           Onde vocês me encontram:
                        

Comente com o Facebook:

4 Comentários

  1. Fiquei com vontade de ler <3
    Além de, aparentemente, ter uma história super legal e bem elaborada com personagens diferentes do que a gente vê por aí, tem uma capa linda! Já quero pra mim haha
    Beijos!
    Sem ser Blasé

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thainá! <3
      Linda demaaaaais, né? Amei tanto essa capa!
      E eba, depois conta aqui o que achou do livro <3

      Excluir
  2. Quando vi o lançamento desse livro senti vontade de ler. Mas confesso que fiquei com o pé atrás quando vi quem era o autor.
    Li apenas "O lado bom da vida" e não gostei. Não gostei nem do livro e nem do filme. Na época acho que fui uma das poucas pessoas que vi que não curtiram hahaha.
    Mas gostei da tua resenha e me senti menos com o pé atrás agora.
    Quem saiba eu leia ele agora kkkk

    beijos
    http://apenasimagine.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ca!
      Juraaa? Eu ainda não li "O lado bom na vida", mas como já li dois dele e amei, quero muito ler! Atualmente estou lendo "Quase uma rockstar" que também é dele e até agora estou amando. "Perdão, Leonard Peacock" é um dos meus queridinhos, hehe <3

      Excluir

© Where The Light Is - 2016. Todos os direitos reservados. Design e programação: Folks Creative Studio. imagem-logo